Tecnologia | O que tem a Covid-19 a ver com as castas de vinho?Blog
Créditos: Jaime Casap | Unsplash

Um biossensor que permite a deteção rápida do vírus SARS-CoV-2, que provoca a doença Covid-19, está a ser desenvolvido pela Universidade de Trás-Os-Montes. O protótipo está em fase avançada e foi criado com a tecnologia usada para identificar o DNA das castas de vinho.

O protótipo do biossensor para deteção do SARS-CoV-2 está em fase de conclusão, pelo que a equipa de investigadores considera possível a sua utilização em massa no próximo ano. Irá permitir resultados em 20 minutos, a contar do momento da recolha da amostra, com a vantagem adicional de não ser necessário pessoal especializado para a realização dos testes.

Este projeto foi financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). A tecnologia utilizada para a criação do biossensor foi inicialmente concebida para identificar e autenticar o vinho da Região do Douro a partir do DNA das castas. De realçar que a UTAD trabalha há vários anos na autenticação dos vinhos.

Este texto foi escrito com base numa notícia divulgada no site da UTAD.

pt Português
en Englishpt Portuguêses Español