Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Parceiros Científicos
do CiB

Agricultora Portuguesa recebeu Prémio Kleckner Trade and Technology Advancement

COMUNICADO

Agricultora Portuguesa recebeu Prémio
Kleckner Trade and Technology Advancement 2010

19 de Outubro de 2010 

gabrielacruzpremio2010

Maria Gabriela Cruz, agricultora Portuguesa, recebeu o prestigiado Prémio Kleckner Trade and Technology Advancement 2010, pelo seu empenho na informação, apoio e defesa dos agricultores na adesão a novas culturas, práticas culturais e novas tecnologias, e ainda pelo seu esforço no sentido de mudar as atitudes dos governos Europeus que bloqueiam o acesso à liberdade de escolha dos agricultores para utilizarem produtos da biotecnologia, mais concretamente, as culturas geneticamente modificadas.

O Prémio, entregue pela Truth about Trade and Technology (TATT), procura reconhecer a capacidade de liderança, visão e determinação na defesa da liberdade de todos os agricultores escolherem as tecnologias e as ferramentas que promovam o aumento da qualidade, quantidade e disponibilidade de produtos agrícolas em todo o mundo.

Maria Gabriela Cruz é formada em Engenharia Agronómica pelo Instituto Superior de Agronomia de Lisboa e é presidente da APOSOLO - Associação Portuguesa de Mobilização de Conservação do Solo. Na sua exploração são utilizadas algumas das práticas e tecnologias agrícolas mais modernas ao seu dispor, com o objectivo de combater a erosão dos solos e de minimizar o impacto dos fitofarmacêuticos, que utiliza nas culturas, na saúde dos seus colaboradores e no ambiente.

Nos últimos anos, a agricultora Portuguesa tem contribuído activamente na divulgação e esclarecimento de:

- Práticas da Agricultura de Conservação (isto é, práticas que permitem o maneio do solo com a menor alteração possível da sua composição, estrutura e biodiversidade natural, defendendo-o dos processos de degradação, como a erosão e a compactação);

- Práticas de Produção Integrada (isto é, práticas com o objectivo de produzir produtos de elevada qualidade que respeitam as exigências e normas nacionais e internacionais relativas à qualidade do produto, segurança alimentar e rastreabilidade, assegurando, simultaneamente, o desenvolvimento fisiológico equilibrado das plantas e a preservação do ambiente);

- Utilização de variedades de plantas geneticamente modificadas para utilização na agricultura (isto é, plantas melhoradas através de técnicas de DNA recombinante e engenharia genética).

 

  • Ler a notícia e ouvir a entrevista a Gabriela Cruz (em Inglês) e fotografias no AgWired