OGM | Nigéria aprova milho resistente a insetos e tolerante à secaBlog
Créditos da imagem: AgroNewsNigeria

A Nigéria continua a emergir como líder na adoção da biotecnologia agrícola em África. Depois do algodão Bt resistente a insetos e do feijão-frade Bt resistente à broca, o país aprovou para cultivo aberto o milho TELA, uma nova variedade de milho geneticamente modificado resistente à lagarta-do-cartucho e à broca do caule e tolerante à seca moderada.

A Agência Nacional de Gestão de Biossegurança da Nigéria (NBMA) concedeu ao Instituto de Investigação Agrícola (IAR), que desenvolveu o milho TELA, uma licença ambiental que lhe permitirá iniciar testes de desempenho desta nova variedade de milho nos principais campos de milho da Nigéria. As sementes podem estar disponíveis para comercialização aos agricultores até às colheitas de 2023.

Levando em consideração os riscos para a saúde humana, a NBMA disse que “não há impactos adversos conhecidos para a conservação e uso sustentável da biodiversidade” e que “a licença não prejudica os demais requisitos legais existentes.”  

Reagindo à decisão da NBMA, Sylvester Oikeh, coordenador do TELA Maize Project da Fundação Africana de Tecnologia Agrícola (AATF), considerou que “este é o início de uma nova era para os produtores de milho na Nigéria, que sofreram muito com os problemas da seca e das pragas de insetos provocados pelas alterações climáticas. Os recursos e o tempo despendidos na proteção do milho contra as pragas de insetos serão usados ​​noutras operações. O milho produzido fornecerá grãos mais saudáveis ​​para agricultores e consumidores.”

Rabiu Adamu, investigador principal do projeto do IAR acrescentou: “Testes preliminares com híbridos TELA mostraram diferenças marcantes nos rendimentos, podendo produzir até 7,5 toneladas por hectare, ao contrário dos melhores híbridos comerciais atuais, que rendem 6 toneladas por hectare.” E quando os híbridos forem comercializados, as perdas de rendimento dos agricultores serão reduzidas em mais de 80 por cento”, sublinhou Rabiu Adamu.

Embora o milho seja a cultura mais amplamente cultivada na Nigéria, a seca e o ataque de pragas de insetos reduziram a produtividade. Como resultado, a Nigéria ainda não é capaz de produzir anualmente os 20 milhões de toneladas necessários para atender à às necessidades domésticas. Atualmente, o país importa cerca de 8 milhões de toneladas de milho por ano.

Saiba mais aqui e aqui.

pt Português
en Englishpt Portuguêses Español