Patentes CRISPR | Universidade na Holanda quer tornar a edição de genes acessível a investigadores de países pobresBlog
A Universidade de Wageningen, na Holanda, está a oferecer acesso gratuito às patentes CRISPR para uso não comercial.  

A Universidade de Wageningen, na Holanda, anunciou recentemente que vai permitir a organizações sem fins lucrativos a utilização gratuita da sua tecnologia de edição de genes, desde que as aplicações não tenham fins comerciais.  

Este é um passo importante para tornar mais acessível a investigadores em países em desenvolvimento uma tecnologia com um potencial ainda inexplorado.

A universidade de Wageningen faz parte de um grupo de instituições de investigação que detêm patentes do CRISPR, uma técnica que permite fazer alterações precisas no genoma, em locais específicos. Outras instituições nos Estados Unidos, como o Broad Institute, em Cambridge, e a Universidade da Califórnia, que têm alguns dos maiores portfólios de patentes, também fornecem gratuitamente ferramentas CRISPR e alguma Propriedade Intelectual (IP) para serem usadas por organizações sem fins lucrativos. No entanto, segundo o editorial da revista Nature 597, as universidades, que detêm a maioria das patentes CRISPR, “poderiam fazer mais para facilitar o acesso à tecnologia CRISPR para investigação.”

O mesmo editorial defende que “todas as universidades que detêm patentes CRISPR, bem como financiadores públicos e instituições internacionais, como a Organização Mundial de Propriedade Intelectual, devem unir forças para que a Propriedade Intelectual no CRISPR possa ser mais acessível e de forma gratuita para investigação, mediante regras claras e transparentes”.

Leia o editorial da Nature aqui.

pt Português
en Englishpt Portuguêses Español